Prosseguindo com nossos posts sobre telefonia IP iniciados com Entendendo Telefonia IP e VoIP abordaremos nesta oportunidade: os protocolos de sinalização, as formas de entroncamento com as operadores de telefonia e os tipos de ramais.

Protocolos de sinalização

Um protocolo de sinalização é o conjunto de regras responsável por controlar o formato e o significado dos pacotes ou mensagens trocadas entre componentes da estrutura de telefonia. Ele define as opções de serviço como a solicitação do início da comunicação, a confirmação do pedido, a configuração da transmissão de dados ou mídia, a resposta ao envio de informações e a desconexão. Em telefonia IP os protocolos mais utilizados são:

SIP

SIP Session Initiation Protocol (Protocolo de Inicialização de Sessão), é um protocolo de sinalização de telefonia IP usado para estabelecer, modificar e finalizar chamadas telefônicas VoIP. O SIP foi desenvolvido pela IETF e publicado como RFC 3261. O SIP descreve a comunicação necessária para estabelecer uma ligação telefônica. O protocolo se assemelha ao HTTP, é baseado em texto, e é bastante aberto e flexível. O SIP é hoje o protocolo de sinalização mais usado e conta com um grande de fabricantes garantindo múltiplas ofertas e a correta interconexão entre equipamentos de fabricantes distintos.

H323

O H323 é um conjunto de padrões da ITUT que define um conjunto de protocolos para o fornecimento de comunicação de áudio e vídeo numa rede de computadores. O H323 é um protocolo relativamente antigo que está atualmente sendo substituído pelo SIP.  Uma das vantagens do SIP é ser bem menos complexo e semelhante aos protocolos HTTP / SMTP.

IAX2

IAX “InterAsterisk Exchange”. Foi desenvolvido pela empresa Digium com o objetivo de estabelecer comunicação entre servidores Asterisk. É um protocolo de transporte, tal como o SIP, no entanto faz uso apenas de uma única porta UDP (4569) tanto para sinalização como para streams RTP. O fato de utilizar apenas uma porta é uma vantagem em cenários de Firewall e ou NAT. Além disto na sua versão IAX2 também permite trunking o que otimiza a banda necessária. Por esta razão é muito usado para o entroncamento entre PBXIP via links de dados.

Protocolos proprietários

Além dos protocolos relacionados acima temos também outros protocolos não tão usuais, normalmente usados por fabricantes em suas soluções proprietárias.

Qual o protocolo de sinalização mais adequado?

Como mencionado em nosso post anterior Entendendo Telefonia IP e VoIP uma das vantagens da telefonia IP é a independência de fornecedores. Desta forma, nossa recomendação é usar SIP como o protocolo de sinalização padrão para seu PBXIP o que vai garantir uma ampla oferta de equipamentos compatíveis tais como telefones IP, softphones, gateways, etc.

A única ressalva ficaria para o entroncamento entre PBXIPs via links de dados, onde o IAX2 é alternativa mais recomendada pela melhor utilização da banda.

Alternativas para entroncamento com operadoras de telefonia

Entroncamento no jargão da telefonia é a forma como uma central telefônica de interliga com uma operadora. A seguir descreveremos as principais alternativas de entroncamento e suas diferenças.

Entroncamento analógico – FXS & FXO

É o tipo mais antigo e usado até hoje. Nesta caso um par de fios entronca o assinante com a operadora de telefonia. Cada par de fios corresponde a um número do assinante. A limitação é que caso o assinante necessite de vários números, a quantidade de fios necessários pode ser um problema. Os termos FXS e FXO correspondem as portas usadas pelas linhas de telefonia analógica.

FXS – Foreign eXchange Subscriber

É a interface que fornece a linha analógica ao assinante. Em outras palavras é o plug na parede onde ligamos nosso telefone analógico. A linha da operadora que chega em sua casa é fornecida por uma porta FXS da central da mesma.

FXO – Foreign eXchange Office

É a interface que recebe a linha analógica da operadora. Em outras palavras em telefone analógico tem uma interface FXO.

Entroncamento Digital ou E1

No Brasil o entroncamento digital disponibilizado pelas operadoras de telefonia é denominado E1. Com esta tecnologia cada tronco E1 entrega até 30 linhas ao assinante. Esta alternativa resolve o problema mencionado acima do grande número de fios necessários para entregar as 30 linhas e permite o chamado DDR (Discagem Direta a Ramal) que possibilita que o ramal do PBXIP receba ligações diretamente da operadora. Quanto a sinalização temos duas alternativas:

Sinalização MFCR2

É o padrão no Brasil e popularmente chamada de R2Digital.

Sinalização ISDN

Padrão europeu e que atualmente é utilizado no Brasil por algumas operadoras.

Entroncamento IP

Neste caso o entroncamento com a operadora de telefonia é feito via um link de dados ou internet usando o protocolo TCP/IP. Ainda não é muito comum no Brasil mas está se popularizando.

Entroncando com a operadora de telefonia móvel

Via de regra o entroncamento com a telefonia móvel é feito através de interfaces GSM. Cada interface pode ter mais de um chip permitindo que a mesma interface opere com números e operadoras diferentes a cada ligação.  Algumas operadoras também permitem o entroncamento IP.

Quanto ao tipo de ramais de um PBXIP

Um PBXIP nos permite dispor tanto de ramais analógicos como de ramais IP.

Ramais analógicos

É usado quando se deseja manter a estrutura de telefonia já existente o que inclui o cabeamento e os telefones analógicos. Neste caso o PBXIP precisará de uma interface FXS para cada ramal. Atualmente estas interfaces são normalmente disponibilizadas por equipamentos chamados de gateways. Um gateway contém várias portas FXS e uma porta ethernet para sua ligação ao PBXIP compatibilizando a tecnologia IP com os telefones analógicos.

Ramais IP

Os ramais IP utilizam a tecnologia nativa do PBXIP e são conectados ao mesmo via rede de dados interna (LAN) ou externa (WAN) ou até mesmo via internet. O uso de ramais IP permite uma grande variedade de opções:

  • telefones IP: existe uma grande gama de fabricantes e modelos de telefones IP, sejam eles com fio ou wireless. Os telefones IP, excetuando-se os que utilizam protocolos proprietários, utilizam por via de regra o protocolo SIP.
  • softphones, que são nada mais que softwares que podem ser instalados em desktops, notebooks, smartphones ou tablets. Atualmente existe uma grande gama de softphones que suportam o protocolo SIP para os mais diversos sistemas operacionais e dispositivos.

Com isso avançamos um pouco mais nos princípios básicos da telefonia IP. Aguarde nossos próximos posts onde prosseguiremos no detalhamento desta tecnologia.

Enquanto isso aproveite para complementar seus conhecimentos acessando nossas dicas de leitura:

 

Share This